Um livro inteiro feito com BOs de mulheres vítimas de violência e as suas histórias de superação.

Livro

Este livro foi feito com BOs reais de violência contra a mulher. São histórias reais de 19 mulheres que compartilharam suas histórias para inspirar mulheres que estão sofrendo com a violência a dizerem a si mesmas: Vire a Página.

Estatísticas
da violência
contra
a mulher.

Desde sua fundação, a Casa da Mulher Brasileira já realizou mais de

27 mil

atendimentos.

Desde sua fundação, a Pousada de Maria já realizou mais de

7 mil

atendimentos.

Só na primeira metade de 2018, o Ligue 180 recebeu mais de

26 mil

denúncias de violência psicológica.

Fonte: Ligue 180.

Segundo a Onu,

7 a cada 10

mulheres já foram ou serão violentadas em algum momento da vida.

35%

de todos os assassinatos de mulheres no mundo são cometidos por parceiros.

Fonte: OMS

O Brasil registrou

946 casos

de feminicídio em 2017. 6,5% a mais que em 2016.

Fonte: G1

Em 2016, foram expedidas

195.038

medidas protetivas de urgência, em todo o País.

Fonte: CNJ.

29%

das brasileiras afirmam ter sofrido violência física ou verbal.

Fonte: Datafolha.

61%

dos agressores são conhecidos da vítima.

Fonte: Datafolha.

A cada

7.2

segundos uma mulher é vitima

de violência física

Fonte: Instituto Maria da Penha.

193 mil

mulheres registraram queixa por violência doméstica em 2017. Uma média de 530 por dia.

Fonte: Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

TIPOS
DE VIOLÊNCIA.

Não é só a violência física que precisa ser denunciada. Existem outros tipos de violência que não podem e não devem ser tolerados por nenhuma mulher.

Ameaças, chantagem, cárcere privado, manipulação, insultos, ciúme excessivo, perseguição. Todas essas são características da violência psicológica. Um mal que não deixa marcas visíveis, mas que causa grande dano emocional às vítimas.

O estupro é a forma mais conhecida, mas a violência sexual também acontece de muitos outros jeitos. Como, por exemplo, o matrimônio forçado, impedir que uma mulher use métodos contraceptivos ou exigir que faça aborto contra sua vontade.

A violência patrimonial acontece quando a vítima tem sua renda ou patrimônio subtraídos, retidos ou até mesmo destruídos pelo agressor. São comuns nesse tipo de violência: a extorsão, a apropriação do dinheiro da vítima, o estelionato, entre outros.

É quando o agressor tenta fragilizar e denegrir a reputação da vítima, seja por meio de calúnia, difamação, injúria, exposição de conteúdo íntimo ou críticas mentirosas.

É todo ato que machuca fisicamente ou prejudica o bem-estar corporal da vítima. Podem ser espancamentos, beliscões, tapas, apertões, puxões de cabelo, empurrões, cortes, queimaduras, o ato de atirar objetos, ou qualquer atitude que cause dor ou lesão física.

PEÇA AJUDA

Números que toda mulher
precisa ter na agenda:

Casa da Mulher Brasileira -
(41) 3252-1048

Av. Paraná, 870 - Cabral, Curitiba - PR.

Guarda Municipal de Curitiba - 153

Disque Denúncia - 180

Polícia Militar - 190

CREAS - fas.curitiba.pr.gov.br

Central de Atendimento da Prefeitura - 156

A Prefeitura de Curitiba tem um compromisso com a segurança, bem-estar e qualidade de vida das mulheres. Por isso, investe em programas e outras ações voltadas a elas.